terça-feira, 29 de maio de 2012

Vai e Volta...

Ouço seus sussurros, sua respiração ofegante, sua risadinha tímida, sinto aquela mão na minha perna, vejo aquele brilho estrondoso nos seus olhos e isso me parte o coração. As lembranças são sentimentos que nos ajudam a continuar de pé. Mas, me parece que elas esqueceram desse detalhe, no mínimo, importante. Eu sei que um dia melhora, eu sei que um dia passa, eu sei que um dia vou dar risadas - enormes, duradouras e daquelas que doem a barriga- disso tudo. Porém, enquanto esse "um dia" não se aproxima, continuo aqui, tentando suportar, parecer bem, tentando te apagar diversar vezes da minha cabeça. Já cai várias vezes e todas foram por um único motivo, você. Recuperações são difíceis e exigem dedicação, todavia me passa pela cabeça se elas são mesmo necessárias. E também, como vou saber se realmente estou recuperado? Afinal, já me recuperei outras vezes não é?

terça-feira, 15 de maio de 2012

Um outro lado

Uma mente quieta, sem voz, respiração e nem mesmo vez. Sentimentos secam a velocidade de uma lesma cansada. A dor que antes gritava desesperada por atenção hoje dorme um sono profundo de desgaste. Sou um corpo oco, sem esperança, nada de felicidade, nada de alegria, nada de desejo. Vejo a vida passar repleta de ilusões e deixo que ela me distraia com suas histórias clichês. Sonhos contrários, lembranças passadas...memórias de um outro lado.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Corro, corro longe.


Eu não me importo. Eu não preciso de você. Não preciso de seus braços. Sua imagem reflete o que eu não amo. Seja qual for o recurso, os pedidos de socorro, sobretudo, não olhe para trás. Corro, corro longe. O caminho é longo. 


-Pas Besoin De Toi, Joyce Jonathan.

domingo, 13 de maio de 2012

Espalhado por todos os lados





Te esperei tempo demais. Mantive a chama das lembranças acessa, firme e forte por todos esses dias e meses. Talvez tudo esteja em seu devido lugar, talvez a gente não deva ficar junto. Te manter vivo não é a coisa certa a fazer. Dizem que tudo acontece por uma razão e agora, começo a acreditar que seja verdade. Esse é o caminho certo, eu preciso dizer adeus a nossa história, a nossa relação. Cansei de esperar pelo "um dia acontece". Pedaços de mim estão espalhados por aí. Agora é hora de sair catando todos eles e torcer que consiga colá-los.

Mantê-la viva?

Me diz o que faço com essa esperança que insiste em sobreviver aqui dentro. A noite, na cama, ela domina meus pensamentos. Na madrugada ela me acorda, e me faz verificar o celular. De manhã, ela me causa dor. Eu não quero. Na verdade, eu não consigo mais.

O doce amargo gosto da saudade


Abri os olhos e olhei as horas. Duas da manhã. Exausto observei as sombras que se moviam no teto do quarto. Sombras sem formas definidas se movimentavam rapidamente acima da minha cabeça. Me agarrei aquelas estranhas formas na ilusão de distrair meus pensamentos. Com essa já se contavam quatro noites sem um sono tranquilo.
Fechei os olhos outra vez e depois de alguns segundos lá estava ele novamente, sorrindo com aquele sorriso de cem watts, a barba por fazer, os cabelos despenteados incrivelmente lindo e fofo. Por um instante acreditei naquele delírio, só por um instante. Um enorme e apaixonado eu te amo saltou de seus lábios. Aquelas palavras me fizeram estremecer. Abri os olhos com um salto, sentado na cama, passei as costas da mão na testa limpando o rio de suor que se acomodava ali. Confuso, observei a noite pela janela enquanto lágrimas escorriam pelo rosto e rolavam até os lábios lembrando o doce amargo gosto da saudade.